Melhores Práticas - 1º Ano D

Melhores Práticas
Professora: Elisabete Kohn
Série: 1° Ano D
Colaboradora: Ana Carolina
Data: outubro/2018


Atividade: Brincando e Aprendendo com a Arte Rupestre


A denominação arte rupestre engloba as representações artísticas como desenhos e símbolos, ou seja, sinais pré-históricos feitos em paredes, tetos e outras superfícies de cavernas e abrigos rochosos. No geral, exibiam representações de plantas, animais, pessoas do período em que viviam, e imagens do seu cotidiano, tais como, dança, caça, alimentação, etc. Na produção das pinturas nas paredes das cavernas, os povos da antiguidade utilizavam sangue de animais, restos de carvão, pigmentos de plantas, terra colorida, pedaços de rochas, ossos, argila, etc. Para estes registros usavam pincéis feitos com pelos de animais e as próprias mãos. Em outros casos, suas mãos serviam como uma espécie de carimbo nas paredes, conhecidas como "mãos negativas".
Pensando em possibilitar um momento de manifestação da expressão artística e de um aprendizado significativo e lúdico, inicialmente, selecionamos imagens de pinturas encontradas em sítios arqueológicos no Brasil e no exterior, como o Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, e o conhecido complexo das cavernas de Lascaux, no sudoeste da França, entre outros exemplos. O segundo passo foi oferecer materiais para que as crianças pudessem expressar, através da arte, os conhecimentos adquiridos e se sentirem como os próprios homens das cavernas.
Neste aprendizado as crianças concluíram que os registros dos primeiros habitantes da Terra foram feitos num tempo muito posterior ao dos dinossauros, diferentemente do que eles supunham no início. O estudo desta arte permitiu que conhecessem mais e melhor os hábitos e a cultura dos povos da antiguidade, ampliando seus repertórios sobre um tema importante.