Melhores Práticas - 1º Ano A - Releitura da obra de arte: Os Ipês

Professora: Sonia Gouveia
Série: 1º Ano A
Colaboradoras: Milena e Kerolen
Data: 30 de setembro de 2018
Atividade: Melhores práticas

Releitura da obra de arte: Os Ipês

No dia 23 de setembro iniciou a primavera, a estação das flores. É uma época linda, pois durante os próximos três meses, aproximadamente, veremos a cidade tomada pelo colorido e pelo perfume das diversas flores espalhadas por todo canto.
Diante desse assunto do momento, propomos para as crianças uma pesquisa sobre um artista plástico que retratasse em suas obras de arte a primavera. Encontramos vários, mas escolhemos Isaac de Oliveira, pelos lindos ipês pintados nas suas obras.
Isaac de Oliveira vive em Campo Grande no Mato Grosso do Sul e após conhecer o Pantanal direcionou sua arte motivado pelas cores da região. Seu imenso trabalho ultrapassa fronteiras com várias obras no exterior. Seu estilo é inconfundível: cores fortes, gestos rápidos e texturas únicas. Faz justa menção à natureza como pássaros, peixe, flores, frutos e principalmente Ipês amarelos, rosas, lilás e brancos. Em nossa Região o que mais vemos são ipês amarelos.
O ipê amarelo é símbolo do Brasil. É a espécie mais utilizada em paisagismo. Durante o inverno, as folhas caem e a árvore fica completamente despida. No início da primavera, entretanto, ela cobre-se inteiramente com sua floração amarela, dando origem ao famoso espetáculo do ipê-amarelo florido. Quanto mais frio e seco for o inverno, maior será a intensidade da florada.
Depois de muitas informações, mãos à obra! Cada criança escolheu uma obra de arte do artista e com muita tranquilidade, capricho e amor pode fazer a sua releitura.
Isaac em sua biografia dizia que "Fazer arte é muito bom. Dividir a criação com quem aprecia, é melhor ainda"!
Sabemos que dentro de cada criança existe uma imensidão de cores vibrantes que dão alegria e significado à existência de cada uma. Por isso é fundamental o contato com diversas formas de arte e cultura para seu desenvolvimento. Dessa forma, acreditamos que poderemos ampliar as experiências e tornar a capacidade criadora suficientemente sólida.