PROJETO SOBRE RESPEITO MÚTUO

 PROJETO SOBRE RESPEITO MÚTUO


1.1TEMA
O valor do respeito mútuo na formação do aluno.


1.2 TEMÁTICA
A importância de se trabalhar o respeito mútuo para formação do educando.


1.3 PROBLEMA
Como trabalhar o respeito mútuo para modificar o comportamento agressivo dos alunos.


1.4 OBJETIVO GERAL
Adotar atitudes de respeito pelas diferenças entre as pessoas, respeito esse necessário ao convívio numa sociedade democrática e pluralista.


1.5 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Respeitar as diferenças entre todo ser humano, independentemente de sua origem social, etnia, religião, sexo e cultura.
Investigar maneiras de trabalhar o comportamento de forma a fazer com que a criança se integre às demais crianças no espaço escolar.


1.6 PÚBLICO-ALVO
Alunos do 6º ao 8º ano do Ensino Fundamental.



JUSTIFICATIVA


O conceito de dignidade de ser humano é bastante abstrato, mas com experiências concretas. Notadamente vivenciada pelos alunos, a ideia de dignidade poderá pouco a pouco tornar-se significativa para eles. Portanto, trata-se de construir contextos pedagógicos em que possam vivenciar experiências de respeitar e serem respeitados, de realizarem ações justas, de dialogarem efetivamente com outros colegas e professores, de serem solidários e receberem solidariedade, de terem acesso ao conhecimento que alimentem a sua compreensão e analisarem criticamente situações concretas dentro e fora da escola.
O respeito ganha seu significado mais amplo, quando se realiza com o respeito mútuo: ao dever de respeitar o outro, articula-se o direito, a exigência do respeitado. As atitudes de respeito mútuo encontram-se no espaço das reações diretas, no convívio próximo e constante. Entretanto, o caráter universal da dignidade humana e do ideal democrático de convívio social, supõe uma base mais ampla do que o convívio direto entre as pessoas pode possibilitar. Com base na noção de humanidade, o respeito deve deixar de ser apenas uma atitude baseada nas empatias das relações pessoais, para tornar-se um princípio que norteia todas as condutas, inclusive as que envolvem contextos esporádicos entre pessoas nas ruas ou locais públicos, os juízos entre grupos de pessoas diferentes que não mantém contato direto.
Através deste tema, o educador trabalha a conscientização da criança, com responsabilidade, possibilitando a compreensão do que é verdadeiramente o convívio com respeitoso na escola. As diferentes formas de se mostrar o respeito correspondente às diferentes esferas de sociabilidade, é através do convívio: relações pessoais, formais e indiretas. Reconhecer os limites e possibilidades alheias, a identificação e repúdio de situações de respeito.
Existem situações de preconceitos, aquelas que se estigmatizam, em geral com apelidos pejorativos, cuja experiência não corresponde a um “modelo” ocasionalmente valorizado, assim como discriminações relacionadas a religiões, etnia, sexo, dentre outras. É necessário impedir que essas atitudes se instalem, através de tematizações em sala de aula, afim de que se analisem os porquês das discriminações e dos preconceitos que geram atitudes de desrespeito, caminhando para o rompimento das crenças que se perpetuam no tempo, demonstrando a total impossibilidade de se deduzir que alguma etnia é melhor que a outra, que determinada cultura é a única válida, que um sexo é superior ao outro, que atributos físicos determinam personalidades e assim por diante.
A atitude de indignação é a resposta que se espera das pessoas que sendo desrespeitadas na vida cotidiana. Reconhecer que situações de preconceito e desrespeito acontecem nas relações interpessoais, cotidianamente, e que não só as crianças e adolescentes passam por isso, é muito importante para pensar em formas de intervenção nessas situações. As atitudes contraditórias são comuns nas relações. Assumir que elas existem, provoca a busca de respostas e a conhecer melhor aqueles com quem se convive. Essa busca encaminha o lhar para os porquês dos conflitos, podendo possibilitar a aproximação e superação deles. Explicitadas e negociadas as soluções, tem-se a possibilidade de pensar em como reparar situações a partir do reconhecimento de que pode existir a necessidade de se desculpar diante das atitudes tomadas, se estas desrespeitam os outros.
A contribuição da escola, portanto, é a de desenvolver um trabalho com respeito mútuo, na sala de aula, comprometida com desenvolvimento de capacidade que permitam intervir na realidade para transformá-la. Acreditar-se numa sociedade mais humana e justa, sem preconceitos, em que os cidadãos atuem compromissados com o bem comum.